Pesquisar neste blogue

09/02/2011

Razão com fé













Relembro um tempo reforçado
com algumas respostas
de dias cumpridos
por frágeis individualidades
sem a percepção de futuros.
Que dizes do tempo?
Escreves na sua sombra
uma ténue marca do nada
e reforças nessa escrita
aquela ideia do nosso passado!
Não encontro palavras
que descrevam essa polémica
do segundo seguinte.
Por isso, parto daqui
parto para não chegar,
ou voltar,
num arremesso do nada.
Parto assim
sem mais nada.

3 comentários:

Bela disse...

Olá

Cheguei aqui na curiosidade de conhecer o novo seguidor do meu cantinho. Suscita curiosidade porque é dificil encontrar alguém com o minimo interesse numa mente confusa como a minha...

No entanto ao entrar aqui vi um pedaço do meu livro/filme preferido e fiquei rendida em ler com carinho o que este espaço tinha para me dizer e gostei ... gostei muito.

.l disse...

partir assim sem mais nada, mas levando o tudo que és...

Anónimo disse...

É o primeiro poema seu que leio e, deixe-me que lhe diga, estou "tocado".
Muito obrigado por este pedaço de arte.