Pesquisar neste blogue

02/09/2009

Sofro


Que prazer?
Quem faz!!!
Sem incumbrimentos,
nem cantos rarefeitos
de caminhos estacionários.
Tu,
só dás de ti,
na vontade sublime de mim.
Quem nada possui,
que encontrará?
O mesmo vazio de sempre!
A mesma revolta,
a marca indelével
que em nada
registará o nosso curso.

1 comentário:

lia disse...

ninguém é tão vazio que careça de algo para dar...