Pesquisar neste blogue

02/07/2009

Este futuro



Hoje acordei no dia d’amanhã
Com a vontade sóbria de dizer adeus ao mundo.
Para que a eternidade fique no lugar
Com os olhos postos neste “futuro”
Onde os pássaros não têm asas
Mas voam.
Os homens não têm línguas
E falam como os mortais.
Quero poder avançar
E por muito que avance,
Prefiro sentir-me agachado sobre o mundo.
Ontem levantei-me com o pensamento nas mãos,
Hoje acordei com os olhos postos neste “futuro”.

Sem comentários: