Pesquisar neste blogue

02/07/2009

Aviso



Disfarcei-me de sentir os teus desejos,
Para que fora de mim
Procure o encanto dos teus sentidos.
Infinitamente choro de alegria
Como quem festeja aniversários de infância,
Pensando no momento de acabar,
Mas volto a procurar nos teus sentidos
E com eles voltam os vagos momentos
Das manhãs de primavera,
Floridas, perfumadas
Com o breve sussurro dos versos feitos
Sonolentos, desprovidos de sinfonia,
E vejo então que o fim
Não termina onde eu quero, mas continua.

Sem comentários: