Pesquisar neste blogue

29/06/2009


A ti, meu bem
eu que te procuro,
ofereço-te estas palavras
para que fuja de ti o esquecimento
que é sempre coisa que passa,
como o rio que passa pelas margens,
deixando a água clarificar o que fica.

Sem comentários: