Pesquisar neste blogue

29/06/2009

Insatisfeito



Vêm-me as ideias.
Aparecem-me as letras,
As palavras saltam para o papel,
Ouço-lhes as vozes.
Mas, eis que chega o silêncio.
Fala-me de tristeza
de frustração
da rotina
Fere-me a pele
Transforma a ausência.

Fecho os olhos,
Tento ouvi-la.

Sinto-a cada vez mais forte,
Cada vez mais perto,
Sinto-me vazio.

Será que lhe posso fugir?
Quem tem força não foge!

Ela corre para mim, como uma pedra rolante,
Disfarço-me,
Escondo-me,
mas, num repente, tudo se torna mais difícil.
O caminho torna-se longo,
Insuportável de transpor.

Parto, então, no sonho,
Viajo na longa viagem.
Eu sei, ele leva-me ao lugar desejado
Que me dá o que quero possuir.
É o fim!
Chegou ao fim a viagem,
Não vou parar,
Não quero perder o que já ganhei.

Afinal fico por aqui,
Porque embora tenha tudo,
Parece-me que nada (de)tenho.

Sem comentários: